WC´s Acessíveis?! Parte I

23 Jun
Wheelchair_symbol.svg (1)

Símbolo internacional de acessibilidade

Uma W.C acessível é aquela que é planeada e concebida com base no conceito de design universal, ou seja, que permite o livre e autónomo acesso de qualquer cidadão, nomeadamente daqueles com mobilidade condicionada e em particular dos que se deslocam em cadeiras de rodas. Encontram-se habitualmente sinalizadas com uma placa com o símbolo internacional de acessibilidade  (i.e. imagem acima).

No entanto, este conceito não é ainda muitas vezes bem compreendido pela nossa sociedade, nomeadamente pelos responsáveis pelo planeamento e construção dos edificados e habitações.

Na realidade, as W.C acessíveis correspondem a uma pequena minoria de W.C´s comummente denominadas por W.C´s adaptadas, sugerindo que foram planeadas e reestruturadas como alternativa às pré-existentes e, concebidas a partir das capacidades de uma minoria (mas significativa) da população, com algum tipo de necessidade/diferenciação ao nível da mobilidade e/ou independência e, para o seu exclusivo usufruto.

A nosso ver esta é uma materialização errónea da concepção ideológica de design universal, pois acreditamos que TODAS  as Wc´s deveriam ser acessíveis, logo, elaboradas a partir de um protótipo comum que respeitasse os fundamentos do design universal, ao invés de existir apenas um número limitado e restritivo de Wc´s específicas para cidadãos com mobilidade condicionada.

No entanto, se por questões de ordem técnica, material, financeira ou outras apenas puder vingar o modelo actual, que existam UM MAIOR NÚMERO de WC´s adaptadas disseminadas por TODOS os espaços, edifícios públicos e equipamentos colectivos, garante de uma utilização equitária e justa dos mesmos.

Por outro lado, se existem tão poucas WC´s adaptadas/acessíveis é imprescindível que o seu uso seja EXCLUSIVO para cidadãos com deficiência ou mobilidade condicionada, uma vez que as restantes W.C´s não se encontram preparadas; OU SEJA, que os outros cidadãos que não têm quaisquer limitações ao nível da mobilidade, se abstenham de utilizar estas WC´s, e NUNCA as utilizem com as habituais desculpas farrapadas: «  …”porque estão mais perto”; “porque as outras WC´s estão ocupadas”; “não há ninguém com deficiência/em cadeira de rodas à espera na fila” ; ”há tão poucas pessoas a utilizar estes WC´s”…».

Não perca num próximo post!

Quais são as normas técnicas específicas que definem uma “W.C acessível”? 

Anúncios

3 Respostas to “WC´s Acessíveis?! Parte I”

  1. filipe teixeira 5 JunhoUTC000 às 140130 #

    lindo e ir a um hotel de 4 estrelas aqui em lisboa hotel marriott … fui a uma palestra que tive que pagar 10 euros de entrada e quando fui para ir a casa de banho adaptada mal …
    reparei depois de me sentar que estava solta completamente , que para uma pessoa normal nem sentia , mas para me vestir e mudar tenho que me equilibrar so assim se da valor. fui reclamar e ao que respondem vamos mandar um tecnico … mas posso ir a outra !!
    ao que me dao uma resposta inesperada,nao temos mais nenhuma ……. ;-( depois veio o tecnico e disse que estava boa , ao que eu responde nao pode estar porque vim de la agora, la fomos os dois e nao e que fomos mesmo para dentro da casa de banho lol ajudou me a sentar e depois a vestir e passar para a cadeira … e pena nao ser uma mulher lol……

  2. Pedro Homem de Gouveia 5 JulhoUTC000 às 140530 #

    A questão está colocada de uma forma interessante. Reservar as WC adaptadas para uso exclusivo das pessoas com deficiência pode ter benefícios, mas creio que são maiores os efeitos perversos. Por três razões: 1) reforça a ideia (errada) de que a acessibilidade só serve as pessoas com deficiência, e de que o investimento na adaptação das WC é um “luxo” porque elas são pouco usadas; 2) fomenta o controlo no acesso à WC, que é potencialmente discriminatório (porque é que as pessoas com deficiência têm de pedir para usar, se as ourtras podem entrar à vontade nas que não são acessíveis?); 3) é um convite à degradação, seja por limpeza ou manutenção pouco frequentes, seja por conversão em espaço de armazenamento de cacifos, produtos de limpeza, arquivos, etc.

    • Filipa Sena Marcos 5 JulhoUTC000 às 140530 #

      Tem toda a razão Pedro!
      Também pensamos dessa forma. A legislação portuguesa actual é que toma essa norma como a mais apropriada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: