Andar de Metro em Lisboa – uma aventura!

27 Nov

Pessoas com mobilidade reduzida enfrentam dificuldades no acesso às carruagens do Metro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para as pessoas com mobilidade reduzida, nomeadamente para aquelas que se deslocam em cadeira de rodas, andar de metro em Lisboa pode ser uma tarefa bastante complicada ou mesmo impossível.

Há uns dias atrás, C. (que se desloca em cadeira de rodas) e F. – duas das editoras deste blogue – relatam a sua aventura desafiante na rede metropolitana de Lisboa!

«Escolhemos o percurso compreendido entre as estações de São Sebastião e do Oriente!!! Felizmente estas duas estações têm elevadores e, estavam a funcionar! Sabemos que nem sempre isto acontece, pois é do conhecimento geral que inúmeras vezes os elevadores estão avariados ou fora de serviço.

O metro esperava por nós. As expectativas eram muitas e os receios também. Iniciámos o trajeto junto aos jardins da Gulbenkian.

O trajeto da estação até à plataforma de embarque fez-se através de 2 elevadores. Reparámos na existência de botões rebaixados e na informação em braille. Apesar da demora que a espera pelos elevadores implicou e a lentidão na aquisição do bilhete de transporte no equipamento acessível e próprio para o efeito, tudo decorreu de forma regular.

No acesso à carruagem deparámo-nos com um degrau que só foi ultrapassado com recurso a ajuda. O desnível, de uns 6 cm no mínimo, era complementado por um espaço entre a plataforma e o cais, que podia levar a que as rodas mais pequenas da cadeira caíssem nesse vazio.

É imperativo que a ajuda prestada seja de alguém que tenha prática assumida no manejo de cadeiras de rodas. Não deixem que um desconhecido vos assista no processo, por melhores que sejam as suas intenções. O metro é um veículo enorme e, embora haja sistemas de segurança, nada garante que um conjunto infeliz de circunstâncias não leve a acidentes graves.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outra regra que devem ter em atenção é a de fazer o acesso na primeira carruagem, assim como fazerem-se notar quando o metro passa por vós, para que o maquinista saiba que alguém com dificuldades de locomoção vai entrar no metro. Desta forma vai estar atento e vocês vão estar mais descansados. Tudo a bem da segurança!

Continuando a nossa viagem. Em todas as outras estações, do Saldanha, Alameda, Olaias, Bela Vista, Chelas, Olivais e Cabo Ruivo, observámos a existência do referido desnível. Esta barreira retira a independência a grande parte dos cidadãos com mobilidade reduzida.

Na estação da Oriente, nosso destino final, encontrámos acessos funcionais e inclusivos.

Mas como “não há bela sem senão”, a exceção verificou-se nas cancelas. O botão que alerta o funcionário para a necessidade de abrir a cancela encontra-se, inexplicavelmente, a uma altura demasiado alta, impedindo muitos utentes de o premir. Informamos que esta operação é essencial para conseguirmos sair da estação e aceder ao exterior. Ao contrário da situação relatada no acesso às carruagens, aqui qualquer transeunte poderá efetuar a operação. Trata-se, no entanto, de uma limitação incompreensível, desnecessária, e que só quem a sente na pele consegue dar o devido valor».

Anúncios

Uma resposta to “Andar de Metro em Lisboa – uma aventura!”

  1. Jmantas 5 NovembroUTC000 às 140530 #

    Quando fiz em lisboa o congresso sobre o sindrome pos-polio, andei por todas as estacoes, para ver como resolver situacoes. Foi um caos. Alameda, nao tem elevadores. Saldanha estao avariados. Rato idem. Picoas, onde seria o congresso, nao tem acesso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: