A Invicta também nos é querida

21 Maio

No dia 10 de Abril de 2014, dois elementos da equipa Lisboa (In)Acessível estiveram presentes no III Fórum de Empreendedorismo Social, na Junta de Freguesia de Paranhos, Porto.

Foi uma experiência enriquecedora e agradável, viajar para uma cidade bastante criativa com um caráter hospitaleiro e conversador.
DSC06516Para começar apanhámos o comboio Alfa Pendular na estação do Oriente. Trata-se do serviço de topo da CP e também o mais acessível.

Podíamos ter solicitado o SIM (Serviço Integrado de Mobilidade), mas não o fizemos. Isto, apesar do período de solicitação do referido serviço ter diminuído de 48h para 24h. Queríamos ver como iria correr o embarque sem uma preparação prévia.

DSC06519Entrámos no comboio por elevador próprio, havia dois lugares para cadeiras de rodas e o WC era acessível. Não foi possível, no entanto, aceder ao bar, nem tão pouco circular entre as carruagens, pois os corredores não tinham espaço suficiente para cadeira de rodas.

O comboio não estava muito cheio, o que nos permitiu viajar juntas. A viagem durou aproximadamente três horas e meia, no entanto, pareceu durar o dobro do tempo. Chegámos ao Porto, mais propriamente à estação de Campanhã, por volta das 10h45. Em seguida fomos ao Metro comprar os bilhetes.

Fizemos o percurso compreendido entre as estações de Campanhã e Trindade. Depois mudámos de linha e apanhámos o Metro entre as estações de Trindade e Paranhos.

O trajeto da estação até à plataforma de embarque fez-se através de elevadores, os quais se encontrvam a funcionar perfeitamente. Estes possuem botões rebaixados. A aquisição do bilhete nas máquinas automáticas de venda são acessíveis, bem como o equipamento para validar o bilhete, à entrada e saída das estações.

 

DSC06537No acesso às carruagens não houve qualquer obstáculo, pois deparámo-nos com umas mini rampas fixas, que permitiam esse acesso de forma autónoma. Nas carruagens existiam lugares destinados a pessoas com mobilidade reduzida, nomeadamente a pessoas que se deslocam em cadeira de rodas. No entanto, verificámos que estas estações encontram-se desprovidas de qualquer tipo de sinalização visual, sonora e táctil, indicativa da posição de paragem da carruagem acessível ou, na ausência da mesma, da primeira carruagem.

Com isto tudo chegámos a Paranhos por volta das 11h00, fazendo a última parte do trajeto pelas ruas. Por fim, chegámos à Junta de Freguesia onde decorreu o Fórum. Foi uma caminhada fácil, pois as passadeiras estavam completamente niveladas com as estradas, o piso era alcatrão e, além disso, estava um dia bonito, cheio de sol e algum calor.

 

DSC06526O Fórum teve dois momentos distintos. O primeiro, que decorreu na parte da manhã, teve como objetivo proporcionar conhecimentos e experiências sobre o estado do empreendedorismo social. O segundo, no período da tarde, dedicado à Inovação Social e ao Hurry UP! – Concurso de Ideias de Empreendedorismo Social, i.e., em que os projetos finalistas do concurso apresentaram as suas ideias. Um dos projetos finalistas e que ficou em 2º lugar foi o Places4all “http://www.places4all.com/”. O Places4all tem como objetivo disponibilizar informação de forma imediata e intuitiva, facilitando a decisão das pessoas que valorizam a informação, especialmente pessoas com desafios de mobilidade, visuais, auditivos e cognitivos, sobre condições de acessibilidade em espaços físicos para a tomada de decisão, através do reconhecimento dos espaços com as melhores condições de acessibilidade.
DSC06524Após o término das apresentações e encerramento do Fórum, regressámos pelo mesmo caminho para apanharmos o Metro para a estação da Trindade e desta para a estação de Campanhã. Em Campanhã já estava tudo operacional para o regresso a Lisboa de comboio.

Lamentamos que esta aventura se tenha passado apenas num dia porque o Porto merece uns dias para ser desfrutado convenientemente, pois apresenta grandes condições de acessibilidade. Esperamos regressar brevemente. Neste momento sentimo-nos bastante gratas por esta experiência e é algo que recomendamos a todos/as os aventureiros/as, porque, tal como Fernando Pessoa uma vez escreveu: “Para viajar basta existir”.

DSC06523

Anúncios

2 Respostas to “A Invicta também nos é querida”

  1. Helder Mestre 5 MaioUTC000 às 140230 #

    Apenas quero expressar aqui a minha inveja por não ter ido convosco. 🙂 Bjos

    • Carina Brandão 5 MaioUTC000 às 141130 #

      Para a próxima junta-te a nós e comemos uma francesinha ou tripas à moda do Porto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: