Sobre

Lisboa (In)Acessível?

É um grupo activo de cidadãos interessado na melhoria das condições de mobilidade e acessibilidade em Lisboa, nomeadamente das referentes às pessoas com mobilidade reduzida/condicionada, e das com dificuldades sensoriais ou intelectuais.

Acessibilidade?

É a capacidade do meio edificado assegurar a todos uma igual oportunidade de uso, de uma forma directa (i.e. sem estar dependente de terceiros), imediata e permanente (i.e. sem restrições)… e o mais autónoma possível.

Visão?

Ambicionar que Portugal e nomeadamente a sua capital, Lisboa e zona envolvente (região da Grande Lisboa) sejam um país e uma cidade mais acessíveis para todos, de modo a garantir as mesmas condições e oportunidades de mobilidade e acessibilidade para todos os cidadãos que aí circulem, a par de outros países e cidades congéneres.

Missão?

Sensibilizar, (in)formar e realizar acções pontuais sobre questões inerentes à mobilidade e acessibilidade, com base no conceito de Design Universal, atendendo nomeadamente aos direitos e necessidades dos cidadãos com mobilidade reduzida/condicionada e/ou dificuldades sensoriais, assegurando assim igualdade de oportunidades (para todos).

Embora estas dificuldades sejam especialmente sentidas por pessoas com dificuldades de mobilidade, ou seja, pessoas com deficiência motora permanente ou temporária – basta partir uma perna! -,  idosos, grávidas, ou outros; e, com outras deficiências, como a deficiência visual ou auditiva, todas as pessoas  de qualquer idade e capacidades, beneficiariam de uma cidade construída com base no conceito de desenho universal, cujas vias de circulação, espaços e serviços pudessem ser fácil e intuitivamente utilizados, de forma o mais autónoma possível. 

População – Alvo?

  • A população em geral, nomeadamente a pertencente à Grande Lisboa, com ou sem problemas ao nível da mobilidade.
  • Os turistas portugueses e estrangeiros que queiram saber quais são as condições de acessibilidade existentes na zona da Grande Lisboa.
  • Os responsáveis pela reestruturação, planeamento e execução dos espaços, equipamentos, serviços, habitações e informação existentes na zona da Grande Lisboa (i.e. políticos ou gerentes particulares de espaços e serviços com autoridade e responsabilidades de decisão e execução).

Objectivos?

  • Sensibilizar, denunciar e fazer eliminar progressivamente barreiras à acessibilidade já existentes, expondo casos concretos na área da Grande Lisboa, através de fotos, vídeos, textos críticos, reportagens, acções, etc.
  • Prevenir o aparecimento de novas barreiras, que impossibilitem total ou parcialmente a mobilidade e a acessibilidade (i.e. física/arquitectónica, informacional/comunicacional e atitudinal) a todos os cidadãos.
  • Sensibilizar e fazer agir os responsáveis políticos ou outros com autoridade de decisão e execução, nomeadamente órgãos da  C.M.L, para a obrigatoriedade de fazer cumprir o estipulado no Decreto-lei nº 163/2006 de 8 de Agosto, que define as condições de acessibilidade (materializadas através de normas técnicas), a satisfazer no projeto e na construção de espaços públicos, equipamentos coletivos e edifícios públicos, bem como edifícios destinados à habitação.
  • Sensibilizar e fazer agir os proprietários dos estabelecimentos e serviços, para que ponham em prática as normas técnicas de acessibilidade previstas no decreto-lei n.º 163/2006 de 8 de Agosto.
  • Divulgar o conceito de Design Universal/Design Para Todos.
  • Veicular formação nas escolas sobre as acessibilidades.
  • Apresentar boas práticas de acessibilidade existentes na Grande Lisboa e/ou noutras localidades (em Portugal e no estrangeiro).
  • Apoiar cidadãos com mobilidade reduzida ou condicionada no acesso a informação, serviços e espaços com as melhores acessibilidades na região da Grande Lisboa.
  • Divulgar informação, notícias recentes, estudos, projectos, legislação, etc., relativos às acessibilidades.
  • Promover a cidadania activa sobretudo por parte dos cidadãos da Grande Lisboa e dos com mobilidade reduzida, para a participação nas iniciativas por nós divulgadas (ou por outras entidades) através das redes sociais, relativas a esta temática (e.g. Acção Ocupe o seu Lugar).
  • Participar e intervir activamente em reuniões da CML (Núcleo de Acessibilidade) colaborando em iniciativas relacionadas com as acessibilidades, de forma a contribuir para que espaços, edifícios e serviços sejam acessíveis e, logo, mais seguros, funcionais e confortáveis para todos os cidadãos, preferencialmente através da integração de elementos da nossa equipa na comissão de implementação do Plano de Acessibilidade Pedonal de Lisboa da CML.
  • Participar em conferências, formações, debates, colóquios, palestras sobre diferentes temáticas inerentes à mobilidade e acessibilidade.
  • Desenvolver campanhas de rua/publicitárias “cool” com medidas concretas para sensibilizar e mobilizar os cidadãos e as empresas para a falta de acessibilidades na Grande Lisboa, e suas respectivas consequências – um passo importante para a mudança de mentalidades (i.e. tornar a questão das acessibilidades uma moda em Lisboa, tal como o fenómeno actual da utilização de bicicletas).
  • Alargar o âmbito do blogue a nível nacional.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: